Bolsonaro anuncia demissão de Roberto Castello Branco da presidência da PetrobrasBlog Bahia (O Portal de Notícias do Oeste Baiano)

20 de fev. de 2021

Bolsonaro anuncia demissão de Roberto Castello Branco da presidência da Petrobras

 

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta sexta-feira a demissão do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.


Em um post em redes sociais, Bolsonaro afirmou que o novo chefe da estatal é Joaquim Silva e Luna.


Silva e Luna é diretor-Geral da Itaipu Binacional e foi ministro da Defesa no governo do ex-presidente Michel Temer (MDB).


“O Governo decidiu indicar o Senhor Joaquim Silva e Luna para cumprir uma nova Missão, como Conselheiro de Administração e Presidente da Petrobras, após o encerramento do Ciclo, superior a dois anos, do atual Presidente, senhor Roberto Castello Branco”, diz a nota reproduzida por Bolsonaro, assinada pela assessoria de comunicação social do Ministério de Minas e Energia.


Bolsonaro pediu a saída de Roberto Castello Branco do comando da Petrobras numa reunião nesta quinta-feira no Palácio do Planalto, após o quarto aumento no preço dos combustíveis anunciado pela empresa, o que irritou Bolsonaro.


A reunião ocorreu pouco antes da transmissão ao vivo nas redes sociais em que Bolsonaro criticou a estatal e disse que “alguma coisa” iria acontecer na Petrobras, posição reforçada na manhã desta sexta.


O presidente da estatal vinha irritando Bolsonaro por conta do aumento dos combustíveis, especialmente o diesel.


Bolsonaro ficou especialmente irritado com Castello Branco por uma declaração em janeiro, quando o executivo, ainda sob a pressão da ameaça de greve dos caminhoneiros, afirmou que a insatisfação da categoria é “um problema que não é da Petrobras”.


Bolsonaro vinha dizendo a interlocutores que Castello Branco é “insensível”, tem uma gestão voltada exclusivamente a dar lucros para os acionistas privados, além de lembrar que a estatal é monopolista no segmento de refino. O presidente também tem dito que a estatal não está sendo transparente na sua política de preços.


A gota d’água para a pressão pela troca foi o reajuste de 14,7% no diesel e de 10% na gasolina nas refinarias, anunciado pela Petrobras. Foi o quarto reajuste do ano e começou a valer nesta sexta-feira.


Após saber do reajuste, Bolsonaro pediu a demissão de Castello Branco numa reunião com os ministros da Economia, Paulo Guedes; da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; e de Minas e Energia. Todos os ministros tentaram demover o presidente da decisão, de acordo com fontes com conhecimento no assunto. Os apelos até, por outro lado, não surtiram efeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário