'Ainda hoje serão tomadas as decisões', diz governador sobre desocupação de acampamentos bolsonaristas em cidades baianasBlog Bahia (O Portal de Notícias do Oeste Baiano)



9 de jan. de 2023

'Ainda hoje serão tomadas as decisões', diz governador sobre desocupação de acampamentos bolsonaristas em cidades baianas

 

Jerônimo Rodrigues afirmou que Exército e Polícia Militar vão negociar cumprimento judicial.

O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, disse que ações para o cumprimento da ação judicial, que obriga desocupação e dissolução total de acampamentos bolsonaristas, serão tomadas ainda nesta segunda-feira (9). Uma reunião foi feita para planejar a forma que a medida será cumprida.

O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, disse que ações para o cumprimento da ação judicial, que obriga desocupação e dissolução total de acampamentos bolsonaristas, serão tomadas ainda nesta segunda-feira (9). Uma reunião foi feita para planejar a forma que a medida será cumprida.

"Ainda hoje serão tomadas as decisões, na parte da tarde", garantiu.
De acordo com Jerônimo, nesta segunda-feira, ainda há barracas ou sanitários químicos montados em acampamentos bolsonaristas nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Alagoinhas.

"Em relação a reunião que tivemos com o Exército, temos uma ordem judicial a ser cumprida, que estabelece que a Polícia Militar é responsável por isso, mas não podemos fazer isso sem dialogar com o Exército".

O governador da Bahia explicou que em Feira de Santana, um diálogo será feito com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsável pela área ocupada.

"Tem também em Salvador, Alagoinhas e Vitória da Conquista, que são áreas municipais. A Casa Militar já saiu daqui designada a fazer um diálogo com esses órgãos, as prefeituras municipais de Salvador, Alagoinhas e de Conquista", afirmou o governador.

Perguntado sobre a forma que será feita a desocupação, Jerônimo disse que vai negociar até o limite, mas se for preciso, o governo vai usar "outros recursos e a energia suficiente para a gente poder cumprir a ordem do ministro".

"Nós vamos esgotar o máximo a capacidade que o Exército e a Polícia Militar têm de negociação. São pessoas experientes e eu acho que não vai acontecer [resistência], porque é uma ordem judicial e eles já sabem disso".

Ações do governo

Na manhã desta segunda-feira (9), ainda havia acampamentos bolsonaristas na frente do Quartel da Mouraria. O g1 entrou em contato com o Exército para saber se há previsão para o cumprimento da decisão e aguarda posicionamento sobre o caso.

Na frente do 35º Batalhão de Infantaria (35° BI), em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, os acampamentos estão em processo de desmontagem.

Segundo o governo, a reunião de trabalho aconteceu com as pastas de Segurança, Justiça e outras áreas estratégicas da gestão para manter a atuação conjunta de monitoramento, acompanhamento e combate aos atos antidemocráticos registrados desde domingo (8) em Brasília.

Participaram da agenda, os secretários de Segurança Pública, Marcelo Werner e da Justiça e Direitos Humanos da Bahia, Felipe Freitas, além dos secretários de Gabinete, Adolpho Loyola, e de Relações Institucionais, Luiz Caetano.

O comandante da Polícia Militar, Coronel Paulo Coutinho, a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito, e a Procuradora Geral do Estado, Bárbara Camardelli.

Dentre as demandas do grupo de trabalho esteve o cumprimento da ordem do ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, para que as áreas de acampamento em frente aos quartéis do Exército Brasileiro sejam liberadas.

A agenda desta manhã antecede a reunião com os governadores, nesta segunda-feira (9), agendada para às 18h, na capital federal, com o objetivo de impedir que novos atos antidemocráticos se espalhem pelo país.

Desde domingo, a segurança foi reforçada pela Polícia Militar em alguns prédios públicos na Bahia. Entre os locais monitorados está o Centro Administrativo (CAB), em Salvador, onde estão localizados secretarias e outros órgãos da administração pública estadual.

De acordo com o governo, o objetivo é evitar a destruição do patrimônio público.

Na madrugada desta segunda-feira, a Bahia enviou para Brasília uma tropa de 70 policiais militares para atuação no combate aos atos que atingiram os prédios do Palácio do Planalto, do STF e do Congresso Nacional, na Praça dos Três Poderes.

O chefe do executivo, o vice-governador Geraldo Júnior, o secretário da Segurança Pública, Marcelo Werner, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Coutinho, estiveram no Aeroporto Internacional de Salvador para acompanhar o embarque da tropa.


Fonte: Blog Bahia  / G1 BA

Nenhum comentário:

Postar um comentário